Informações gerais
Dados introdutórios sobre o Curso

Sobre o curso
Apresentação, Objetivos e Metodologia

Corpo docente
Lista dos professores e respectivas titulações

Estrutura curricular
Descrição dos troncos, módulos e áreas de concentração

Módulos e disciplinas
Listagem dos módulos e disciplinas

Inscrições
Datas, documentos e investimento

Av. Alfredo Balena, 190
Santa Efigênia
Belo Horizonte - MG
CEP: 30.130-100
Fone: 3248 9860
Fax: 3248 9859
E-mail: emi@enf.ufmg.br

Sobre o curso

Processo Seletivo 2010 - Inscrições de 4 a 26/02/010

Informações sobre critérios para concessão de bolsas em cursos de extensão e pós-graduação lato sensu

1. APRESENTAÇÃO

O Sistema Único de Saúde, implementado a partir de 1990 no Brasil, determinou reformulações em todas as áreas que compõem o setor. Há um constante repensar sobre os modelos assistenciais e a cada dia novas propostas exigem uma revisão e reformulações na formação dos recursos humanos. É necessário oferecer subsídios para os profissionais de saúde para que eles possam acompanhar as tendências atuais que se apresentam nesse processo de mudança em que a saúde se encontra.

Diante das atuais tendências e exigências do setor saúde, que retoma a vigilância a saúde como fio condutor de suas ações, faz-se necessário capacitar, atualizar e buscar aperfeiçoamento dos profissionais que atuam na saúde pública dentro desta perspectiva. Compreende-se vigilância a saúde como uma prática sanitária que organize um processo de trabalho em saúde com condições de confrontar problemas continuamente em um território determinado, fundamentando-se na epidemiologia e em conhecimentos das ciências sociais que permitam subsidiar a atenção à saúde do individuo e da coletividade. Além disso, na perspectiva de descentralização da gestão, todo profissional de saúde deve estar apto para assumir a gerência das unidades básicas onde atuam e para tanto devem adquirir conhecimentos que os capacitem para este cargo. O curso propõe ser um espaço dinâmico de discussão e aprimoramento, integralizando as atuais tendências da assistência com o cotidiano da prática dos profissionais que atuam ou irão atuar nas unidades de saúde, desde o planejamento, organização até a execução de ações da saúde.

O presente CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO EM SAUDE COLETIVA, estruturado em módulos, tem o propósito de contribuir com a capacitação de profissionais de saúde que atuam nas unidades básicas de saúde, subsidiando-os para uma prática mais resolutiva na atenção à saúde da população assistida, como também na reorganização dos serviços de saúde.

Está constituído por seis áreas de concentração, pela quais os alunos deverão fazer uma opção, e uma área comum a todas elas, com um total de 420 (quatrocentas e vinte horas), subdivididas em 240 (duzentas e quarenta) horas para o tronco comum e 180 (cento e oitenta) horas para a concentração escolhida. As áreas de concentração propostas são: 1) Gerência em Unidade Básica de Saúde, que com as mudanças ocorridas na implantação da atual política de saúde, fortaleceu o papel do gerente local e fez com que novas categorias profissionais, tais como enfermeiro, farmacêutico, assistente social, bioquímico, psicólogo, terapeuta ocupacional, entre outros, assumiam a função, muitas vezes sem conhecimento adquirido anteriormente; 2) Avaliação e Informação nos Serviços de Saúde, que são utilizados diariamente no setor saúde e exige cada vez mais conhecimentos dos profissionais para elaboração de políticas públicas adequadas à realidade epidemiológica e social da população assistida; 3) Tecnologias e Práticas Educativas em Saúde, aborda os aportes teóricos da antropologia, filosofia, arte, educação, comunicação que fundamentam as tecnologias educacionais em Educação em Saúde. Fornece subsídios e permite a experiência de criação, implementação, gestão e avaliação de projetos de intervenção em Educação e Saúde. Problematiza a questão da gestão de tecnologias educacionais na atenção básica; 4) Enfermagem Do Trabalho, é uma área que sempre se apresenta defasada em relação a profissionais aptos para lidar com os problemas de saúde desse grupo; e 5) Enfermagem na Saúde Mental Aborda o fenômeno contemporâneo da drogadicção em suas interfaces com o direito de cidadania, a violência, a lei, a ética, a imprensa, a adolescência, o narcotráfico e outros. Discute a prevenção do uso indevido de drogas, o tratamento e a reinsersão social do usuário de drogas. 6) Enfermagem na Atenção Básica: Estratégia Saúde da Família, aborda o cuidado à população atendida em uma concepção sócio-antropológica, além de tecnológica, enquanto estratégia de organização e planejamento da assistência à população, visando a mudança de trabalho em saúde, fundamentado no instrumental da vigilância à saúde.

Vale ressaltar que para as três primeiras áreas propostas – Gerência nos Serviços de Saúde, Epidemiologia, Avaliação e Informação nos Serviços de Saúde e Tecnologias e Praticas Educativas em Saúde – serão oferecidas vagas para todos os profissionais de saúde que atuam no setor e as três últimas apenas para o profissional enfermeiro devido às suas especificidades.
Assim, mantendo seu compromisso com a formação de profissionais críticos e atuantes para a saúde, este Departamento oferece o Curso de Especialização em Saúde Coletiva, tendo como princípio o aprendizado em serviço. Aprofundando o trabalho de integração ensino-serviço, princípio desta Unidade Acadêmica, este Curso será desenvolvido com outras instituições e municípios, de acordo com convênios já firmados com a UFMG e outros que poderão se concretizar.

2 – OBJETIVOS

O curso tem por finalidade formar especialistas, para atuarem na gestão das unidades básicas de saúde e na assistência à saúde da população, de acordo com a proposta de descentralização e distritalização do setor. Tem por objetivos:

2.1. Geral

Proporcionar ao profissional de saúde condições para aprofundar saberes específicos de planejamento das ações em saúde e aprimorar a sua competência técnico – administrativa de forma flexível diante das atuais demandas e tendências do setor saúde.

2.2. Específicos

  • Possibilitar o exercício do planejamento, execução e avaliação das ações de saúde nas unidades básicas;
  • Instrumentalizar o profissional de saúde para o desenvolvimento de uma abordagem clínico-epidemiológica, tendo como referência o contexto sócio-político e cultural da clientela;
  • Incentivar reflexões e discussões ético-críticas frente aos modelos de assistência de saúde vigentes, a fim de proporcionar uma organização de serviços voltados para uma melhor qualidade de vida da população;
  • Capacitar o profissional para o planejamento de ações sanitárias fundamentadas na vigilância à saúde;
  • Promover o desenvolvimento de habilidades pedagógicas que possibilitem ao profissional a atuação eficaz em processos de educação em saúde.

3 – METODOLOGIA

A proposta metodológica fomenta a integração ensino-serviço, legitimando a realidade vivida no cotidiano dos profissionais de saúde. A experiência adquirida na prática é a base para a construção e desenvolvimento do processo de ensino e aprendizagem. Esta experiência e o cotidiano do trabalho do aluno serão considerados na organização das atividades de ensino-aprendizagem, buscando articular ensino/trabalho.

O Curso será oferecido na modalidade semi-presencial com momentos de concentração e momentos de dispersão.

No período de concentração, os alunos deverão comparecer e participar de aulas, de acordo com os módulos a serem oferecidos e área de concentração escolhida, devendo totalizar no mínimo 75% de presença. Diferentes técnicas de ensino serão utilizadas no desenvolvimento das aulas tais como seminários, conferências, aula, trabalho em grupos, discussões de casos clínicos e gerenciais e estudo independente, buscando a participação ativa do aluno.

Nos momentos de dispersão os alunos desenvolverão estudos independentes, que compreenderão atividades práticas em unidades de saúde, estabelecidas de acordo com o módulo cumprido na etapa de concentração. Para cada atividade realizada, os alunos apresentarão um relatório de acordo com um roteiro pré-estabelecido, além de leituras que subsidiarão tal atividade e terão orientação individual para a realização da mesma. As unidades de saúde onde os alunos desenvolverão as práticas poderão ser o próprio campo de trabalho, como incentivo à integração ensino – serviço, ou em um campo pré-definido pela coordenação da área.

A avaliação da aprendizagem será de desempenho, progressiva, processual. Como requisito parcial para obtenção do título de especialista, o aluno deverá apresentar um trabalho final, escrito, com tema de sua escolha, que será realizado sob orientação de um professor.

O Curso está organizado em duas etapas, sendo a primeira constituída de um tronco comum e a outra com áreas de concentração específicas, conforme opção do aluno, estabelecendo a especialização.

O número de vagas previsto para o curso será de oitenta (80) e só será desenvolvido se tiver, no mínimo, 48 alunos matriculados, não sendo considerado, neste número, os alunos não pagantes. Em relação às áreas de concentração, uma área só será oferecida se houver, no mínimo, 08 (oito) alunos matriculados.