Pós em Enfermagem
Pós em Enfermagem
Pós em Enfermagem
Pós em Enfermagem
Pós em Enfermagem
Pós em Enfermagem

Dissertações

Retornar

Número
232 
Aluno
Eduardo Gomes de Araújo
Orientador
Maria Flávia Gazzinelli Bethony
Linha de Pesquisa
Prevenção e Controle de Agravos à Saúde
Título da defesa
Educação em saúde: abordagem estrutural das representações sociais de profissionais do Programa Saúde da Família
Data da defesa
29/05/2007
Banca Examinadora
Profª Maria Flavia Carvalho Gazzinelli (Esc.Enf.UFMG)
Prof Antônio Marcos Tosoli Gomes (Universidade Estadual do RJ)
Profª Virgínia Torres Schall (Fundação Osvaldo Cruz)
Resumo
A compreensão da relação entre a forma como indivíduos e grupos pensam a educação em saúde e a prática educativa que realizam, no contexto histórico, é um desafio possível com a teoria das representações sociais. Reconhecer e educação em saúde como objeto de representação social é entender como esta é elaborada pelos profissionais de saúde a partir de suas crenças adotadas em grupos com o objetivo de explicar sua experiência social. Este estudo objetiva identificar e analisar as representações sociais sobre a educação em saúde dos profissionais do Programa Saúde da Família (PSF), considerando as rupturas e continuidades na história da saúde. Fundamenta-se na pesquisa qualitativa e utiliza a abordagem estrutural das representações, tendo como cenário o Distrito Sanitário Nordeste, na região metropolitana de Belo Horizonte, MG. Foram estudados 248 sujeitos, entre médicos, enfermeiros, auxiliares de enfermagem e agentes comunitários de saúde das equipes do PSF do referido distrito, através de um questionário para coleta de evocações relacionadas com os termos indutores "educação em saúde" e "ser educador em saúde". O tratamento das evocações foi realizado através do software EVOC 2003, que organizou os dados através de quadros de 4 casas. Foi realizada uma análise da estrutura e do conteúdo das representações sociais. Os resultados mostram entre os possíveis elementos centrais da representação social sobre educação em saúde do conjunto das equipes de PSF, a presença do modelo pedagógico diretivo voltado para a prevenção de doença e orientado por um discurso biologicista que reduz a determinação do processo saúde-doença à dimensão individual. Esta característica se mantém em todas as categorias profissionais, além de não sofrer influência do tempo de trabalho no PSF. Somente entre os enfermeiros se observa um processo de transformação no conteúdo da representação, com a incorporação no núcleo central de elementos relacionados ao modelo pedagógico interacionista, expresso por meio de atributos como construção-conhecimento, discussão e experiência. Entre enfermeiros e agentes comunitários de saúde observa-se uma incorporação no núcleo central, das diretrizes e princípios do PSF, expressos por meio de atributos como escuta e vínculo. O modelo hegemônico da educação em saúde é caracterizado e discutido em comparação a um modelo de práticas de educação em saúde emergente. Discute-se a necessidade de se repensar os modelos pedagógicos e assistencial que referendam as práticas educativas em saúde do PSF para que a promoção da saúde possa efetivamente compor o rol de elementos considerados na definição das ações dos serviços e dos profissionais. 
Abstract
 
Palavras-chave
Educação em Saúde, Representações sociais, Saúde da Família
Dissertação no formato PDF
 
Apoio

Redes/cooperação

Comunicação científica

Serviços


Coordenação

Coordenadora
Profa. Dra. Kleyde Ventura de Souza

Subcoordenador

Contato

Av. Alfredo Balena, 190 - Sala 120
CEP.: 30.130-100 - Belo Horizonte - MG - Brasil.

colpos@enf.ufmg.br
Telefax: (031) 3409.9836
Localização

Copyright 2024