Calendário

Programação no campus Saúde conscientiza sobre racismo

Cortejo2O Grupo Técnico Racismo Institucional, que integra o projeto “Racismo institucional: a doença falciforme e seus contextos sociais” promove, na sexta-feira, 18 de maio, a segunda edição do “Cortejo de (des)comemoração do 13 de maio”, data que marcou a assinatura da Lei Áurea, que aboliu a escravidão no Brasil. A programação, que vai das 14h às 16h, é gratuita e aberta ao público.

O Grupo faz parte do Centro de Educação e Apoio para Hemoglobinopatias (Cehmob-MG) como uma das iniciativas de trabalho que propõe discutir e elaborar estratégias de enfrentamento e combate ao racismo institucional nos serviços de saúde e na sociedade.

Programação
Às 14h haverá um cortejo de maracatu pelo campus Saúde da UFMG com o Grupo Bombos de Iroko. Em seguida, às 14h30, o filme “Faça essa dor parar” será exibido na sede do diretório Acadêmico Alfredo Balena, também no campus Saúde. O documentário reúne relatos de pessoas com doença falciforme, familiares, pesquisadores e profissionais que atuam na área. Ás 15h a enfermeira Aline Poliana, do projeto Linha de Cuidados convida a comunidade para uma roda de conversa sobre o racismo institucional no contexto da doença falciforme.

Descomemoração e racismo
Quando houve a primeira edição do cortejo, em 2017, a coordenadora do Grupo, Janaína Neres, explicou que descomemoração é um termo criado pelo movimento social negro para causar reflexões sobre o 13 de maio. “Popularmente, tem-se ideia da abolição associada à liberdade, o que não condiz com a realidade, pois tal feito somente ocorreu por pressões daquele momento histórico, ligadas à expansão do capitalismo e à necessidade de mais consumidores. Negros e negras foram libertos sem nenhuma garantia de dignidade ou ação promovida pelo Estado”, afirma.

“O racismo, já presente no tratamento para com as necessidades dos negros naquela época, ainda tem seus reflexos nos dias atuais. Por esse motivo, o mês de maio simboliza a necessidade de enfrentar e combater todas as formas de racismo presentes na nossa estrutura social”, acrescentou o estudante de Psicologia e também integrante do Grupo, Vinícius Theófilo.

Leia mais sobre o 13 de maio em texto produzido pelo Grupo.

Mais informações: (31) 3409 8918, 3409 8919 ou 3409 8973, ou ainda pelo e mail edu.falciforme@nupad.medicina.ufmg.br.
(Com Centro de Comunicação da Faculdade de Medicina da UFMG)