Calendário

Novembro 2020
Seg Ter Qua Qui Sex Sáb Dom
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
20
21
22
23
24
29

Campanha quer aumentar números do Banco de Leite Materno

O Dia Mundial de Doação de Leite Humano é comemorado no dia 19 de maio. Considerando a data, o Ministério da Saúde lançou uma campanha de incentivo à doação de leite Materno que, devido à pandemia do novo coronavírus, apresenta baixas reservas nos bancos de todo o país.

A coordenadora de Saúde da Criança e Aleitamento Materno do Ministério da Saúde, Janini Ginan, e a professora do Departamento de Enfermagem Materno Infantil e Saúde Pública da UFMG, enfermeira obstétrica e consultora em amamentação, Fernanda Penido Matozinhos, em entrevista à Rádio UFMG Educativa, falaram sobre os benefícios da doação, a segurança e os cuidados que devem ser tomados durante a extração do leite. 

doacao de leite2Campanha de doação de leite materno veiculada pelo Ministério da Saúde visa estimular a doação de leite, mesmo durante a pandemia da COVID-19.
Reprodução/Ministério da Saúde

Bebês prematuros e desnutridos muitas vezes precisam de leite que a mãe não consegue oferecer. Seja pela baixa produção ou pelo baixo valor energético. Nesses casos, é preciso recorrer ao Banco de Leite Humano. Devido a pandemia do novo coronavírus, houve uma redução de 5% no número de doadoras de leite materno, quando comparado ao mesmo período de janeiro à abril do ano passado. A baixa nos estoques não é específica desse momento, ela acontece também em outros momentos do ano. É o que conta a Coordenadora de Saúde da Criança e Aleitamento Materno do Ministério da Saúde, Janini Ginan. “Além da pandemia do coronavírus, normalmente no período de férias escolares e recessos prolongados há uma redução do volume dos estoques nos Bancos de Leite Humano. Esse fato é normalmente atribuído às viagens em família e a dificuldade de doar leite durante a estadia fora de casa. Por isso a importância das campanhas de sensibilização e mobilização em torno da doação de leite materno durante todo ano, além do preparo e sensibilização dos profissionais para orientar e estimular mais mulheres a doar”.

Mesmo com essas oscilações, o Brasil possui o maior banco de leite humano do mundo e também é referência internacional em estratégias de administração de baixo custo e alta tecnologia. De acordo com o Instituto Fernandes Figueira, órgão aliado ao Ministério da Saúde, para nortear a rede global de bancos de leite humano, no Brasil existem 224 bancos, além de 217 postos de coleta. Em alguns estados existe também a possibilidade de realização de coleta domiciliar.

No ano passado, 214 mil recém-nascidos foram beneficiados com leite materno doado, que chegou a coletar 222 mil litros. Cada pote de leite materno pode ajudar até 10 bebês recém-nascidos ou subnutridos, público principal dos bancos de leite. A doação é permitida já a partir do primeiro dia após o nascimento do bebê. Mesmo diante da recomendação de isolamento social, o Ministério da Saúde orienta que mulheres saudáveis continuem doando leite. É importante, entretanto, tomar alguns cuidados. Estão aptas para doação mulheres puérperas saudáveis e que não apresentem sintomas de gripe ou então que morem com pessoas com esses sintomas. A professora Fernanda Penido apresenta mais dados sobre atuação segura. “O disposto na resolução da Anvisa nº 171, de 4 de setembro de 2006, é considerada nutriz apta para doação a mulher saudável. As contra-indicações para doação são similares às da amamentação, por exemplo, HIV. E também contra indica-se a doação para aquelas mulheres com sintomas compatíveis com síndrome gripal, infecção respiratória ou confirmação de caso de coronavírus da síndrome respiratória aguda grave 2. Essas mulheres não poderão ser doadoras no período da viremia, ou seja, 14 dias a contar do primeiro dia de sintoma. Isso estende também às mulheres que entraram em contato domiciliar com paciente de síndrome gripal ou casos confirmados de causador da atual pandemia de Covid-19”.

É recomendado também verificar nos postos de coleta a possibilidade de agendamento, evitando aglomerações. Outra possibilidade é a puérpera solicitar a extração e coleta em casa. Essa oferta é feita em diversas cidades do país, incluindo Belo Horizonte e região metropolitana. A professora Fernanda Penido acrescenta algumas informações para garantir que a extração seja realizada de forma higiênica e segura neste período de pandemia de Covid-19. “No caso da coleta manual, deve-se usar touca, lavar adequadamente as mãos por pelo menos 20 segundos, lavar os braços até o cotovelo, lavar as mamas com água, desprezar os jatos iniciais e usar a máscara facial cobrindo completamente o nariz e a boca, além de evitar falar ou tossir. No caso de uso de bomba de extração de leite, a bomba precisa ser desmontada e deve ser realizada a adequada higienização das mãos e da bomba, seguindo rigorosamente as recomendações para limpeza após cada uso”.

Para que a doação ocorra, é preciso que o conteúdo do pote contenha pelo menos 200 ml, já que 30% dessa quantidade é utilizada para realização de testes. O pote deve ser de vidro e a tampa de plástico, e ambas as partes devem ser fervidas em uma panela com água durante 15 minutos. É importante retirar quaisquer rótulos do vidro antes de ir para fervura. Se a mulher optou pela coleta em casa, depois de sair o leite, deve-se congelar o pote até que o ACS - o Agente Comunitário de Saúde - busque o leite na casa da puérpera. Se a mulher desejar levar o leite presencialmente até o Banco de Leite Humano, ela deve levar em consideração que o conteúdo do pote tem validade de 15 dias, a contar do dia da extração. Lá, o leite extraído passará por controle de qualidade antes de ser distribuído, sendo submetido a exame microbiológico, análise de conteúdo energético e composição nutricional. Esses testes reforçam mais uma vez que a doação de leite é segura para as mães que doam e também para os bebês recebem.

Você que está amamentando e deseja contribuir para o Banco de Leite Humano, procure aquele mais próximo ou então um posto de coleta para mais informações. Em Belo Horizonte, o Banco de Leite Humano fica localizado na Maternidade Odete Valadares, que fica na Avenida do Contorno, número 9494, no bairro Prado. O telefone para contato é 0 3337-5678. Para mais informações sobre a campanha de doação de leite humano, com uma lista de contatos de todos os bancos de leite do país, acesse o site saúde.gov.br/doacaodeleite.

(Com Rádio UFMG Educativa)