Calendário

Novembro 2020
Seg Ter Qua Qui Sex Sáb Dom
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
20
21
22
23
24
29

Podcast orienta como fazer o uso correto da máscara caseira

podcast
Foi ao ar, nessa quinta-feira (28), os primeiros podcasts do programa “Telessaúde no combate ao coronavírus”, coordenado pela professora Solange Cervinho Bicalho Godoy, do Departamento de Enfermagem Básica da Escola de Enfermagem da UFMG. O objetivo é elaborar podcasts com base nas dúvidas apresentadas pelos profissionais de saúde e comunidades dos municípios de Minas Gerais. A apresentação é das alunas do curso de graduação em Enfermagem, Drielly Stefany Queiroz de Lucca e Luana Fernandes e Silva.

O primeiro episódio aborda o uso correto e higienização das máscaras caseiras. “A máscara é de uso individual e não pode ser compartilhada com ninguém. Antes de colocá-la, deve-se lavar as mãos com água e sabão, ou, higienizar com álcool em gel 70%. Cubra totalmente a boca e o nariz, certificando que não há espaços vazios entre o rosto e a máscara. Respire através da máscara e veja se há algum vazamento. Se sentir o ar saindo na parte do nariz ou bordas, reajuste a posição”, explicam as alunas.

Contudo, algumas precauções devem ser tomadas. As alunas dão algumas dicas de como agir com segurança.“Evite tocar a máscara enquanto a usa. Se isso acontecer, lave as mãos com água e sabão ou utilize o álcool 70%. Se a máscara ficar úmida, substitua por uma nova máscara limpa e seca. Para remover a máscara, retire-a pelos elásticos e a armazene em um saco plástico”.

De acordo com o podcast, a higienização das máscaras deve ser feita por meio da lavagem com água e sabão e, após o enxague, é preciso fazer a imersão da máscara em um recipiente com água e água sanitária por 30 minutos. A quantidade a ser utilizada é de 10ml de água sanitária para 500ml de água. Após a secagem da máscara, deve-se passar o ferro quente e, só então, ela pode ser guardada no saco plástico.

Já o segundo episódio, que tem o tema “Como devo me proteger no transporte público”, trata sobre as medidas de segurança que se deve tomar ao pegar o transporte coletivo. “Primeiramente, é recomendado o uso da máscara de proteção e levar na bolsa ou mochila, o álcool em gel 70%, para manter as mãos sempre higienizadas. Dar preferência para o pagamento da passagem no cartão e, caso não seja possível, higienize as mãos com álcool em gel assim que pagar a passagem”, aconselham as alunas.

É importante manter um metro de distância dos outros passageiros. Elas dão destaque ao que se deve evitar: “Procure ao máximo evitar o contato das mãos com as superfícies do ônibus e evite levar as mãos aos olhos, nariz e boca. Procure ficar perto das janelas e certifique-se de que elas estão abertas, pois isso faz com que o ar seja renovado constantemente. Ao desembarcar do ônibus, lembre-se de higienizar as mãos com álcool em gel 70%, ou lavar as mãos com água e sabão”.

Adote sua vizinhança
O terceiro episódio apresenta o projeto de extensão “Adote sua vizinhança em tempos de Coronavírus”, desenvolvido pela Faculdade de Medicina da UFMG, em parceria com a Escola de Enfermagem da UFMG. O projeto é coordenado pelas professoras Maria do Carmo Barros de Melo, Unaí Tupinambás e Solange Bicalho Godoy e tem como objetivo promover a interação entre a comunidade da UFMG com a sua vizinhança, para propiciar as boas práticas em saúde como forma de enfrentamento ao coronavírus.

Foi através desse projeto que nasceu a parceria com a prefeitura de Itabirito – Minas Gerais, uma das primeiras cidades a participar. As alunas explicam como o projeto é desenvolvido. “No site da prefeitura de Itabirito, existe um local onde a população pode enviar as dúvidas em relação ao coronavírus. Essa dúvida é encaminhada para os teleconsultores, que são alunos de Escola de Enfermagem da UFMG que foram capacitados pelo curso online “Evitando a epidemia de Sars-Cov2” e “Capacitação para acadêmicos da área de saúde da UFMG”, para tirar dúvidas da população”.

O projeto funciona em escala de plantões, de segunda a domingo, então assim que a dúvida chegar aos telenconsultores, ela será respondida o mais rápido possível. “Dessa forma, é possível barrar a circulação de fake News, fornecendo informações verdadeiras e orientando a população”, finalizam as alunas.

Além da professora Solange Godoy, o projeto também conta com os professores Unaí Tupinambás, Priscila Menezes Ferri liu, Maria do Carmo Barros de Melo, Alexandra Dias Moreira D'Assunção, Eliane Marina Palhares Guimarães, Vanessa de Almeida Guerra e dos alunos, Leila Emanuelle Peixoto Nascimento; Rafael Vilhena Rezende; Andre Vitor Ferreira de Souza; Ariana Paula da Silva; Virginia Barbosa Pereira; Angela Cristina Guimaraes Barbosa, Luane Rocha, Carolina Pereira, Amanda Oliveira, Ana Paula Bezerra, Luciana Costa, Natália Portugal.

Redação: Vívian Mota - estagiária de jornalismo
Edição: Rosânia Felipe- Jornalista