Calendário

Novembro 2020
Seg Ter Qua Qui Sex Sáb Dom
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
20
21
22
23
24
29

Pesquisa de servidora da Escola aborda técnicas para promover a qualidade de vida dos trabalhadores

Uma pesquisa realizada pela enfermeira e servidora técnico-administrativa da Escola de Enfermagem da UFMG, Poliana Cristina Soares Natividade, concluiu que as Práticas Integrativas e Complementares em Saúde (PICS): acupuntura sistêmica e auricular, auriculoterapia e ventosaterapia ofertadas na EEUFMG, podem favorecer um ambiente de trabalho mais saudável e produtivo por melhorar a qualidade de vida dos trabalhadores da Unidade.

O estudo faz parte da dissertação defendida pela enfermeira no Mestrado Profissional em Gestão de Serviços de Saúde com o objetivo de analisar as contribuições das PICS ofertadas pelo Programa de Práticas Integrativas e Complementares no SUS EE/UFMG – PIC/EEUFMG, coordenado pela professora titular do Departamento de Enfermagem Básica, Tânia Couto Machado Chianca.

Poliana e LudmilaPoliana explicou que as PICS são caracterizadas como tecnologias de baixo custo e com grande potencial de trazer melhorias para a qualidade de vida das pessoas. “O Ministério da Saúde incentiva e normatiza o uso das Práticas Integrativas e Complementares em Saúde no âmbito do Sistema Único de Saúde (SUS). As PICS são técnicas e saberes do cuidar que atuam na prevenção de doenças e na promoção, manutenção e recuperação da saúde, sustentadas pelo princípio da integralidade”.

O estudo se deu por meio de uma abordagem qualitativa, onde a amostra foi composta por 16 trabalhadores, sendo 13 mulheres e três homens. A idade dos participantes variou entre 30 e 59 anos e entre eles, nove eram trabalhadores vinculados a empresas terceirizadas e sete eram servidores públicos federais, todos ocupantes do cargo técnico-administrativo em educação. “O roteiro de entrevistas para os trabalhadores contemplou perguntas baseadas nos quatro domínios do questionário WHOQOL-bref, instrumento para avaliação da qualidade de vida desenvolvido pelo Grupo de Qualidade de Vida da Organização Mundial de Saúde (OMS), acompanhado de uma seção para registro de dados socioeconômicos, demográficos e relacionados ao trabalho. A análise dos dados foi feita por meio da técnica de análise de conteúdo, estabelecendo-se as seguintes categorias temáticas: Terapias recebidas e dinâmica dos atendimentos; As PICS e seus efeitos na saúde dos trabalhadores; Contribuições secundárias aos efeitos; As PICS e a qualidade de vida; As PICS no ambiente de trabalho; e, O que pensam as terapeutas e a Coordenação?”

Maior rendimento profissional, motivação e valorização do trabalho e melhoramento das relações sociais e melhor resolução de problemas foram alguns dos resultados obtidos pelo estudo, de acordo com Poliana. Além desses, ela também relata outras decorrências importantes. “As PICS ofertadas pelo Projeto PIC-EE/UFMG melhoraram as queixas de dor, ansiedade e outros sentimentos negativos, padrão de sono prejudicado, tensão pré-menstrual e tabagismo. Além disso, elas proporcionaram aos trabalhadores mais energia e disposição para desenvolver as atividades do dia a dia e maior satisfação própria, o que permitiu que conseguissem aproveitar melhor a vida e ter mais concentração”.

Ainda de acordo com Poliana, foi elaborado um relatório técnico para a diretoria da EEUFMG, contendo resultados e sugestões para a manutenção e oferta de terapias dessa natureza. “A finalidade dessa entrega é proporcionar informações e auxiliar na formulação de projetos e ações que visem à promoção da saúde, melhoria da qualidade de vida e satisfação dos trabalhadores da instituição. Além disso, é de grande importância o desenvolvimento de estudos quantitativos do tipo ensaio clínico randomizado, por fornecerem evidências científicas consistentes para a comprovação dos diversos efeitos das PICS, a fim de fortalecer o uso desses recursos terapêuticos”, finalizou.

Tema: “Contribuições das práticas integrativas e complementares em saúde para a qualidade de vida dos trabalhadores”
Nível: Mestrado
Autora: Poliana Cristina Soares Natividade
Orientador: Professora Adriane Vieira
Coorientadora: Professora Carla Aparecida Spagnol
Programa: Mestrado Profissional em Gestão de Serviços de Saúde da Escola de Enfermagem da UFMG
Data da defesa: 27/02/2020

Redação: Vívian Mota - estagiária de jornalismo
Edição: Rosânia Felipe- Jornalista