Calendário

Novembro 2020
Seg Ter Qua Qui Sex Sáb Dom
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
20
21
22
23
24
29

Café com Pesquisador (a) abordou o Mestrado Profissional em Gestão de Serviços de Saúde

Nesta terça-feira, 10, foi realizada mais uma edição do Café com Pesquisador (a), que teve como tema “O perfil dos discentes e a pesquisa no Mestrado Profissional em Gestão de Serviços de Saúde” e contou com a participação da professora Adriane Vieira. O evento, organizado pelo Núcleo de Assessoramento à Pesquisa (NAPq), tem como objetivo promover rodas de conversas com líderes de grupos de pesquisa da Escola de Enfermagem da UFMG com o intuito de divulgar as pesquisas realizadas na instituição e seus respectivos resultados.

adriane vieiraO Mestrado Profissional em Gestão de Serviços de Saúde foi instituído em 2017 e segue três linhas de pesquisa: política, planejamento e avaliação em saúde, trabalho e gestão participativa na saúde e tecnologias gerenciais em saúde. “O propósito do Mestrado Profissional é formar gestores aptos a atuarem na apropriação, execução, acompanhamento e avaliação contínua de políticas públicas de saúde. Além disso, também implantar modelos, estruturas e processos gerenciais que tornem os serviços de saúde mais eficientes, eficazes e efetivos”, relatou Adriane.

Os departamentos que participam do mestrado profissional são Enfermagem Aplicada; Materno Infantil e Saúde Pública; Enfermagem Básica; e Gestão em Saúde. Além desses, também colaboram o Departamento de Medicina Preventiva e Social da Faculdade de Medicina da UFMG e departamentos de Administração e Economia da Faculdade de Ciências Econômicas da UFMG.

Os produtos técnico-tecnológicos de conclusão do mestrado devem apresentar discussões de práticas, implantações e novas tecnologias da área escolhida pelo aluno. De acordo com Adriane, “O perfil dos alunos são os profissionais de várias áreas de conhecimento, envolvidos nos diferentes níveis de complexidade da gestão da prestação de serviços de saúde, geralmente do setor público, à população da grande Belo Horizonte”.

Ainda durante a atividade, a professora Adriane abordou a sua trajetória acadêmica, que começou na UFMG em 2010 e segue a linha de pesquisa em Tecnologias Gerenciais na Saúde. Suas principais produções foram Mulheres nas equipes de enfermagem: identificação organizacional e vivências de prazer e sofrimento no trabalho; Construção de uma escala de auto e heteropercepção profissional; e Gender differences and professional identities in health and engineering.
Redação: Vívian Mota - estagiária de jornalismo
Edição: Rosânia Felipe- Jornalista