Calendário

Novembro 2020
Seg Ter Qua Qui Sex Sáb Dom
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
20
21
22
23
24
29

Editores das revistas de Enfermagem do Brasil se reúnem na Escola de Enfermagem

A Escola de Enfermagem da UFMG sediou, nos dias 2 e 3 de setembro, reunião de editores das revistas de Enfermagem da Coleção REV@ENF, Biblioteca Virtual em Saúde Enfermagem e SciELO.

O professor Francisco Carlos Félix Lana, coordenador da BVS Enfermagem Brasil e BVS Enfermería Internacional, explicou que 14 Revistas integram o Portal REV@ENF e que durante os dois dias foram discutidas perspectivas da Ciência Aberta, critérios de avaliação da SciELO, visibilidade e fatores de impacto da produção científica da enfermagem brasileira nas bases Web of Science e Scopus, estratégias e perspectivas de expansão nacional e internacional. “A reunião contou com a presença de diretores de escolas, editores de diversas revistas de enfermagem do Brasil e com o convidado especial Abel Packer, diretor da SciELO - Scientific Electronic Library Online. A ideia é que possamos sair desta reunião com recomendações e encaminhamentos no sentido de termos o máximo de revistas nessas bases e assim melhorar nossos fatores de impacto e consequentemente a avaliação dos nossos programas que dependem de publicações de impacto”.

IMG 8404Francisco Lana, Coordenador da BVS Enfermagem Brasil e BVS Enfermería Internacional; Sônia Maria Soares, Diretora da Escola de Enfermagem da UFMG; Maria Helena Marziale, Coordenadora do REV@ENF e Tânia Chianca, Editora da Revista Mineira de Enfermagem 

Maria Helena Marziale, coordenadora do Portal REV@ENF, destacou que a ciência aberta é uma demanda mundial para que a divulgação do conhecimento científico se torne mais transparente, veloz e democrática. “Uma das estratégias da Ciência aberta é o repositório de preprints, versão de um manuscrito antes da avaliação por pares, que pode ser publicado em 24 horas. Até 2022, as três frentes que teremos que trabalhar são: aceitar os artigos do repositório preprint, abertura dos bancos de dados e avaliação aberta”.

                                                                                                                             Visibilidade
Mesa redonda visiibilidadeA mesa-redonda sobre “Visibilidade e fatores de impacto da produção científica da enfermagem brasileira nas bases Web of Science e Scopus” contou com a participação da Editora Chefe da Revista Acta Paulista, Janine Shirmer; da Editora Chefe da Revista da Escola de Enfermagem da USP, Emiko Egry e da Editora Chefe da Anna Nery Revista de Enfermagem, Ivone Cabral. Elas discutiram os critérios de indexação nas bases de dados – pontos críticos e caminhos – lições aprendidas; estratégias para amplificar a visibilidade da produção nacional de enfermagem nas bases de dados – indicadores de impacto; e as perspectivas de internacionalização dos periódicos nacionais de Enfermagem tendo como referência mudanças previstas nas bases de dados para 2020.

O Blog Enfermagem SciELO como dispositivo para amplificar a visibilidade e difusão das publicações da área de Enfermagem foi tema de discussão entre a Coordenadora do Blog REV@ENF e Editora Chefa da Revista Cogitare UFPR, Luciana Kalinke e do responsável pelas Redes Sociais Blog REV@ENF - EEAN- UFRJ, Ítalo Rodolfo Silva. Eles discutiram a importância do Blog e redes socais para a visibilidade da produção científica difundida pelas revistas do REV@ENF; avaliaram a situação atual do Blog em termos do fluxo das postagens e colaborações recebidas; estabeleceram estratégias para o desenvolvimento e sustentabilidade operacional e científica do Blog e orientaram sobre técnicas para elaboração dos posts.

Construção coletiva
O diretor do Programa SciELO, Abel Packer, abordou o tema “RevEnf construção coletiva da área de Enfermagem”. Segundo ele, a área de pesquisa e divulgação de Enfermagem no Brasil teve um desenvolvimento notável nas últimas três décadas e tem uma capacidade muito bem estabelecida de trabalho cooperativo, de construção de produtos e serviços e melhora das práticas de comunicação científica. “Essa condição proporciona oportunidade de fortalecimento nacional como uma área de pesquisa e divulgação cada vez mais reconhecida, forte e principalmente de colaboração internacional”, enfatizou.


IMG 8588Abel Packer, diretor do Programa SciELO

Ele destacou, ainda, sobre a Ciência aberta, que implica em desafios para todos os atores e instâncias da comunicação científica e, particularmente, para os periódicos. “A expansão tem várias dimensões: a geográfica e de métodos, objetivos e soluções de comunicação”, concluiu.