Calendário

Fevereiro 2020
Seg Ter Qua Qui Sex Sáb Dom
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29

Enfrentamento ao racismo institucional é tema de encontro nesta semana

cartaz racismo 3“Educar para Lutar e Lutar para Viver” é o tema do II Encontro do Projeto Racismo Institucional: A doença falciforme e seus contextos sociais do Núcleo de Ações e Pesquisa em Apoio Diagnóstico (Nupad) da Faculdade de Medicina da UFMG. O evento ocorre no dia 19 de junho, das 8h às 13h, no Auditório Maria Sino da Escola de Enfermagem da UFMG.

O evento é aberto aos profissionais de saúde, pessoas com anemia falciforme e à comunidade geral. Para participar, basta se inscrever pelo link https://rebrand.ly/projetoracismo.

A data do Encontro foi escolhida para marcar o Dia Mundial de Conscientização da Doença Falciforme, instituído pela Organização das Nações Unidas (ONU) em 2008. A coordenadora do Projeto, Janaina Neres, explica que a educação será tema do evento, como forma de combate ao racismo. “O nosso foco é a educação para o empoderamento, reconhecimento, sensibilização e enfrentamento das situações de racismo”, relata.

“A proposta é a educação mais ampla, de estratégia de enfrentamento dessas situações não só no sistema de saúde, mas da própria pessoa com doença falciforme ou ela em uma situação de vulnerabilidade, para que possa romper com essas condições”, acrescenta Janaina Neres.

Ela ainda reforça que a escolha do tema é reflexo da situação enfrentada no Brasil. “Tendo em vista as questões de retrocesso e que, de certa forma, impactam nas vidas das pessoas com anemia falciforme, a gente resolveu fazer uma discussão para o enfrentamento dessas situações de racismo, como estratégia de sobrevivência na atualidade”, acrescenta.

Para conduzir o debate, foram convidadas Maria Zenó, coordenadora da Associação de Pessoas com Doença Falciforme e Talassemia do Estado de Minas Gerais; Célia Maria Silva, hematologista do Hemominas; Larissa Borges, integrante da comunidade da UFMG, e Vânia D’arc, mãe de uma das primeiras crianças diagnosticada com anemia pelo programa de Triagem Neonatal.

Mais informações: racismo.df@nupad.medicina.ufmg.br
(Com Assessoria de Comunicação da Faculdade de Medicina)