Calendário

Novembro 2020
Seg Ter Qua Qui Sex Sáb Dom
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
20
21
22
23
24
29

Maio Amarelo conscientiza sobre uso de patinetes e bicicletas

Cada vez mais populares nas ruas de BH, o uso seguro de patinetes elétricos e bicicletas foi destaque na ação “Maio Amarelo”, realizada nesta terça-feira, 21 de maio, no campus Saúde da UFMG. Quem passou pelo local, recebeu orientações sobre como conduzir esses veículos com segurança e pode até testar o aprendizado na prática: bicicletas e patinetes ficaram disponíveis para uso dentro do campus. O evento também contou com blitz educativa para os motoristas que transitaram pela Avenida Alfredo Balena, na área hospitalar da cidade.
OFICINA CONDUÇÃO SEGURA

A ação foi realizada junto ao Departamento de Edificações e Estradas de Rodagem do Estado de Minas Gerais (DEER). Para a vice-diretora da Faculdade de Medicina da UFMG, Alamanda Kfoury, é compromisso das universidades públicas estarem atentas às demandas da sociedade, como a mobilidade. “As instituições são espaços do conhecimento e da formação profissional, mas também de formação dos cidadãos”, afirmou. A vice-diretora também reforçou que ações educativas como essa fazem parte da promoção de saúde, uma vez que previnem acidentes de trânsito.

No mês passado, foram registrados mais de cem atendimentos a vítimas de acidentes com patinetes elétricos no Hospital João XXIII. Para o coordenador do hospital, Marcelo Lopes Ribeiro, que ministrou oficina durante o evento, ações como essa são importantes para reduzir esse número. “No penúltimo dia de abril, lançamos a campanha do ‘Maio Amarelo’ e isso fez com que as pessoas prestassem mais atenção e tivéssemos uma diminuição significativa no número de casos no mês de maio. Então essas ações tem um impacto na sociedade”, avalia.

Mobilidade urbana em transformação
De acordo com a coordenadora de educação para o trânsito do DEER, Rosely Fantoni, é possível se deslocar com patinete elétrico de forma segura, desde que se obedeça regras básicas. “E essas regras são o uso do equipamento de segurança, que é basicamente o capacete, não circular com sapatos inadequados, como salto alto, não usar o patinete com duas pessoas e colocar o equipamento em local adequado após o uso”, enumerou Roseny.

itala3A estudante Ítala Ferreira, de 23 anos, participou da ação e reforçou a importância de orientações sobre o uso desses meios de transporte. “Acidade não está acostumada com esse novo modelo. Mas é um meio que tem muitos benefícios, principalmente para o meio ambiente, por isso é importante que as pessoas sejam ensinadas como usar”, ressaltou.

Por isso, a coordenadora de educação para o trânsito do DEER, Rosely Fantoni, avalia que a legislação terá que contemplar o uso de equipamentos de segurança. De acordo com ela, isso já está sendo mobilizado em diversas cidades, o que inclui Belo Horizonte. “A forma de lidar com esses meios é criar uma nova legislação, mas é ainda mais importante conscientizar as pessoas para usar de forma adequada”, acrescentou.

A conscientização também vale para os motoristas. Segundo o motociclista Everton Diniz, que também participou do evento, existem muitos motoristas que ainda não sabem lidar com patinetes e bicicletas compartilhando o mesmo espaço no trânsito. “Por isso, é importante conscientizar sobre as leis desse meio de transporte, já que é uma solução para a mobilidade urbana”, opinou.

Campanha Maio Amarelo
Blitz EducativaMaioA cada 12 minutos morre uma pessoa no trânsito no Brasil, de acordo com representante da campanha “Maio Amarelo” em Minas, Maurício Pontello. Ele explica que a ideia da campanha é despertar a sociedade para o elevado número de óbitos. “A chegada dessas novas formas de mobilidade despertou a necessidade de conscientização, porque as pessoas estavam se acidentando e se machucando”, afirmou.

O Maio Amarelo foi um movimento inaugurado no Brasil em 2014, depois da Assembleia-Geral das Nações Unidas editar, em março de 2010, uma resolução definindo o período de 2011 a 2020 como a “Década de Ações para a Segurança no Trânsito”. O documento foi elaborado com base em um estudo da OMS (Organização Mundial da Saúde) que contabilizou, em 2009, cerca de 1,3 milhão de mortes por acidente de trânsito em 178 países. Aproximadamente 50 milhões de pessoas sobreviveram com sequelas.
(Com Centro de Comunicação da Faculdade de Medicina)