Calendário

Programa de Pós-Graduação em Enfermagem inicia comemoração dos seus 25 anos com apresentação da primeira tese defendida

Para iniciar as comemorações dos 25 anos do Programa de Pós-Graduação em Enfermagem e marcar os 10 anos da primeira tese defendida, o professor Adriano Marçal Pimenta, primeiro aluno a defender, apresentou nesta segunda-feira, 17 de dezembro, uma releitura da tese “Fatores associados à Síndrome Metabólica em área rural de Minas Gerais”, orientada pelo professor Jorge Gustavo Velásquez Meléndez. 

A mesa de abertura contou com a presença da diretora da Escola de Enfermagem, professora Sônia Maria Soares; do professor Jorge Gustavo Meléndez; da professora Maria José Menezes Brito, representando os docentes do Programa e da Lucilene Braga, representando os funcionários.

adriano pimenta2Adriano enfatizou que foi uma emoção participar do evento que marca uma década da apresentação da sua tese. “Fazer o Mestrado e o Doutorado nesta Escola foi um privilégio pra minha formação acadêmica. Mostra como o Programa consegue capacitar as pessoas para o exercício docente. Me sinto muito honrado de estar aqui”.

Sobre a pesquisa, ele explicou que a Síndrome Metabólica (SM) é reconhecida como um importante problema de saúde pública em todo o mundo, e está fortemente associada ao Diabetes mellitus tipo 2 e as doenças cardiovasculares. “Este estudo epidemiológico, observacional, transversal e de base populacional foi conduzido com o objetivo de identificar os fatores associados à síndrome metabólica nas comunidades de Virgem das Graças e Caju, respectivamente, áreas rurais dos municípios de Ponto dos Volantes e Jequitinhonha, ambos localizados na região do Vale do Jequitinhonha, nordeste do Estado de Minas Gerais”

De acordo com o professor, a amostra foi constituída de 534 participantes de ambos os sexos, com idades entre 18 e 94 anos, dos quais foram coletadas informações sobre as características demográficas, do estilo de vida, antropométricas, bioquímicas e hemodinâmicas.

Com base nos resultados encontrados no estudo, Adriano destacou que foi concluído que na população rural estudada, a SM é um problema de Saúde Pública, especialmente para o sexo feminino; os componentes da SM mais frequentes na população estudada foram a hipertensão arterial e os baixos níveis de high density lipoprotein cholesterol (HDL-c); as combinações mais comuns de três componentes da SM na população estudada foram: hipertrigliceridemia, baixos níveis de HDL-c e hipertensão arterial; obesidade abdominal, baixos níveis de HDL-c e hipertensão arterial. “Em virtude da associação entre fatores modificáveis e a SM, medidas preventivas primárias podem ser usadas de maneira efetiva para diminuir a prevalência desse agravo e o seu impacto na saúde dos moradores das comunidades rurais estudadas (aumento da incidência de diabetes mellitus tipo 2 e doenças cardiovasculares). Entre essas ações, destaca-se o controle da obesidade que, potencialmente, melhoraria o perfil lipídico, inflamatório e de resistência à insulina, pontuou.

25 anos do Programa
A professora Kênia Lara Silva, coordenadora do Colegiado de Pós-graduação em Enfermagem, lembrou que o Programa é o primeiro do Estado e que se tornou referência para outras escolas e cursos com os quais contribuímos com a formação de mestres e doutores. Ela agradeceu os professores, estudantes e funcionários que fazem o Programa acontecer.

Kenia Programa PósKênia pontuou que atualmente o Programa conta com 26 docentes permanentes e 9 colaboradores nas três linhas de pesquisa: Cuidar em Saúde e Enfermagem; Epidemiologia, políticas e práticas em saúde das populações e Gestão e Educação na Saúde e Enfermagem. “Nestes 25 anos foram titulados 583 mestres, 118 doutores e 9 residentes pós-doutoral. Contribuímos para os serviços de saúde nos diferentes níveis de atenção nos quais nossos egressos fazem a diferença e para a sociedade, cujos resultados de dissertações e teses defendidas no âmbito do Programa são capazes de influencia as políticas públicas, a organização das práticas e modos de viver”.

Ainda de acordo com a professora, nestes 25 anos foram vários desafios para construir um Programa sólido e de qualidade, mesmo em contextos intra e extrainstitucionais que desafiam. “Desafios para buscar saídas coerentes e sustentáveis para manter a qualidade e os processos e produtos de relevância que o Programa produz”, relatou.

As comemorações, que se iniciam hoje com a apresentação da releitura da tese e o lançamento do selo comemorativo, se estenderão por todo o ano de 2019 com simpósio, oficinas, ampliação do ciclo de debates e aula inaugural, entre outras atividades.