Calendário

Dia Mundial Sem Tabaco terá ações de conscientização e lançamento de programa no Hospital das Clínicas da UFMG

Sem Tabaco1O tabagismo é responsável por mais de sete milhões de mortes anuais no mundo, sendo cerca de 900 mil delas em pessoas não-fumantes expostas à fumaça ambiental (tabagismo passivo). Em 1987, a Organização Mundial de Saúde (OMS) instituiu o dia 31 de maio como Dia Mundial sem Tabaco, com a finalidade de alertar a população mundial sobre os malefícios do uso dos produtos do tabaco, os benefícios da cessação e defender políticas públicas efetivas para a redução do seu consumo. Em alusão à data, o Hospital das Clínicas da UFMG realizará diversas ações de conscientização.

No dia 30 de maio, das 9h às 14h, profissionais de diversos setores do hospital realizarão ações educativas no hall de entrada do prédio principal. Um túnel lúdico irá explicar, por meio de cartazes e fotos, as consequências do uso do cigarro para a saúde. Durante a caminhada, as pessoas poderão acompanhar como o organismo reage após o abandono de cigarro.

Haverá também distribuição de folhetos e apresentação de filmes curtos sobre o tabagismo. Neste dia, será apresentado à comunidade hospitalar e acadêmica o Programa de Abordagem aos Fumantes Internados do HC-UFMG. O objetivo é, nos próximos meses, capacitar o maior número de profissionais de saúde possíveis para que eles possam abordar pacientes internados e ambulatoriais que são fumantes e incentivar a cessação do tabagismo. Para isso, foi criada a Cartilha de Abordagem Breve aos Fumantes.

Já no dia 6 de junho, a médica Maria das Graças Rodrigues de Oliveira vai conversar com os trabalhadores do Hospital das Clínicas, durante encontro no Auditório do CAD (1° andar), das 10h às 12h. Ela irá apresentar os impactos do uso do tabaco para a saúde, os benefícios do seu abandono e as possibilidades de tratamento.

Neste ano, o tema escolhido pela OMS é “Com o coração não se brinca. Faça a melhor escolha para a sua vida: não fume!". “É muito importante conscientizar a sociedade sobre os benefícios da cessação do tabagismo e defender políticas públicas efetivas para a redução do seu consumo”, afirmou a médica.
(Com Assessoria de Comunicação do Hospital das Clínicas da UFMG)